Observação Universal

"Quando alguém pergunta pro autor o que este quis dizer, é porque um dos dois é burro." [Mário Quintana]

sábado

A despedida do mundo Platônico

HOJE:
Seu desprezo é atraente...
Mais do que o seu carinho...
Estes são mais agradáveis...só saciam meu desejo....me sinto por vencida!
O seu desprezo, sua indiferença - me desafia...
Me provoca - A Te Conquistar!
E assim eu construo um objetivo - E por este eu acabo
Por Me Humilhar...
Eu perco o amor próprio...
Fico sem limites...
Passo a enxergar aquilo que não existe...
Passo a criar verdades para saciar essa realidade
E você continua com a sua vida boêmia...
E se sente bem em saber que alguém te quer bem....
E isso me irrita!
Pintei meu cabelo de diversas cores, para atingir "seu tipo preferido"!
É que vejo você com tantas garotas, e cada uma que vejo, quero ser como ela
Sinto Inveja!
Eu pesquiso sua vida, seus gostos...Quero gostar do que você gosta...
ÀS vezes eu mudo de tática:
Mostro que to mudada, que estou me divertindo...
Que fiz novos amigos...E até forjo um namoro e magoou outras pessoas...
Mas não funciona, você é
Indiferente

AMANHÃ:
Acordo deste pesadelo...
To Livre!
E vejo muitas coisas destruídas...
Muitos dias mal vividos...
Você não teve culpa...A culpada fui eu!
Não porque amei de mais...Eu não amei!
Porque eu não tinha amor para dar...
A gente só dá aquilo que a gente tem!
E eu já havia perdido meu amor próprio fazia tempo...
Isso era só um desejo cego...Que alimentava expectativas mortas!
E depois destes dias escuros...
Não sinto mais nada por você...
Nem desprezo, nem ternura!
Você para mim é só mais alguém...
Que me apaixonei
Não amei!!!
Por isso não se sinta tão querido!
Paixão é doença...
Amor é divino!

Um comentário:

Fernando Pimenta disse...

Nossos textos são ecos um do outro. Que lindo descobrir que o lado feminino e o masculino se sentem igualmente fragilizados e abandonados.

"O amor é divino" - e só poderia ser! O ruim é quando tomamos paixão por amor, pois aí surgem nossos problemas. A não ser que os dois estejam semelhantemente apaixonados, e essa relação cresça para uma relação realmente de amor.

Pra mim a paixão pode levar ao amor, mas nem sempre. Assim como o socialismo pode levar ao comunismo - mas isto já é raro. O amor visa deixar amante e amado em par de igualdade, porque recíproco. E o comunismo deveria deixar a sociedade em pé de igualdade, mas é muito difícil destituir o Estado fálico de seus poderes ditatoriais e repressivos.

O que mais vemos é a mulher dominada, machucada, mas no meu caso quem saiu desse jeito fui eu. Graças aos milagres natalinos eu revi essa pessoa que me magoou tanto, e eu parei instantaneamente de sofrer. Eu escrevi o poema e me libertei.

Espero que você tenha se libertado também após o teu texto, que resume tão bem tua angústia!

Que bom que eu descobri o teu blog. Não sabia que dois textos pudessem ser tão semelhantes, apesar dos vocábulos diferentes, do modo diverso de se expressar. Nós estamos falando a mesma coisa! Que mágico! Cada um com sua bagagem, e ambos com a mesma valia!

E não menospreze teus textos! Oras, a prática torna as coisas (cada vez mais - e jamais completamente) perfeitas. Rs..

Fiquei encantado, valeu, um grande abraço!