Observação Universal

"Quando alguém pergunta pro autor o que este quis dizer, é porque um dos dois é burro." [Mário Quintana]

domingo

Motivo?


Quando a responsabilidade vira obrigação
Quando a dor no peito mera ocasião
As lágrimas força da vontade
o beijo apenas necessidade
o Sexo, eventualidade
Tudo sem Sentido
Tudo anil, tudo breu.
em todo canto falta mais eu
mais de nós, mais de sempre
MAIS DE MAIS...

E a razão?
sua amante inconformada Paixão?
Apenas vivemos deixando as horas passarem
Como único e imperial
Prazer de ter
Sem a ousadia de sentir...

E o prazer de doar?
Morreu
O prazer de ousar?
se escondeu.
O prazer de sorrir?
virou paisagem
E os abraços?
raridade...
E o amor?
Ahh, o amor virou preguiça
Irmã do medo, prima da covardia...

Tudo hoje em dia, desde ontem...
desde sempre
virou lenda
histórias, moedas
laços de interesses...

Pra que viver? se no fim tudo é saudade
Pra que sorrir? se a felicidade é vaidade
Pra que chorar? se nada é de verdade
Pra que lutar?
Se a vitória... à ninguém pertence?

Nos emaranhados de perguntas vou mergulhar em outros mares
daqueles nos dias de ressaca
fáceis de afundar
Vou buscar nos meus enleios não respostas
não coerência, não certeza
muito menos reflexão

Queremos mais caminhos,
Mais fendas do Sol,
mais belezas da lua
Vou querer um pouco da chuva
Das sombras das árvores...
E da dor e alegria de sentir a vida
Bravamente!

Não vou buscar razão de viver...
Parei!
Vou buscar mais sentir...
Chorar e sorrir
Sem sombra de dúvidas
Assim como Sol e a Lua
Determinam o dia
Noite/Dia, Noite/Dia
Viveremos [...]
sem nos depararmos com mentiras...

Lutar, esvaziar-se de pessoas vazias.
Eita vida!

Um comentário:

Bruno disse...

quanta inspiração e anseio! estou adorando os posts