Observação Universal

"Quando alguém pergunta pro autor o que este quis dizer, é porque um dos dois é burro." [Mário Quintana]

quinta-feira

Disposto à Dispor?


“Se você não quer parecer um idiota, não merece se apaixonar.”


Para se apaixonar, tem que se dispor a se tornar idiota. Essa é a regra. A idiotice é vital para a felicidade. Se você pretende ser apaixonante sem se apaixonar, você tem que se dispor a ser um insignificante ladrão de corações, mas a insignificância é essencial para a distinção da autenticidade.
A vida é baseada na regra do dispor: disponha o bem e terá o bem em troca, disponha o mal e terá a amargura da vida.
Para ser feliz é preciso estar disposto à ficar triste em certas horas, porque a felicidade demais torna-se suspeita, para sorrir é preciso dispor da cor da sua alma, você simplesmente "se distribui" gratuitamente ao sorrir.
A doação mais graciosa é o amor, porque ele não pede nada em troca.
O amor não precisa de nada, pois ele é tudo em sí mesmo, se tem amor não falta nada... Mesmo se houver dor, alegria, tristeza e àz vezes sofrimento, não deixa de ser amor... Amar não é sinônimo de felicidade, amar é sinônimo de estar vivo, e conectado... sentido tudo à flor da pele.

*** Filme: De repente é amor

Um comentário:

Bruno disse...

'A doação mais graciosa é o amor, porque ele não pede nada em troca.' se as pessoas vivessem isso, seriam mais felizes, mesmo.
mas é idiota demais acreditar que realmente não se quer nada com ele. e isso sustenta muito o amor.
não ser idiota é tornar desnecessário e sem graça o mistério do desejo que se tem. sabendo o que se quer, com o outro, pode-se buscar em qualquer lugar, inclusive no outro, portanto, a paixão não 'faria sentido', não surgiria. ou talvez não rs