Observação Universal

"Quando alguém pergunta pro autor o que este quis dizer, é porque um dos dois é burro." [Mário Quintana]

quinta-feira

A gente entende



Outro dia tomamos um suco. Depois de tantos anos sem se ver, eu percebia que internamente rolavam comentários do tipo: "Como ela ficou linda vestida de mulher determinada". ou "Como o tempo passa". Coisas assim que são normais da nostalgia. Queria [ou queríamos] ficar mais tempos juntos, apesar da adolescência íntima, dos assuntos referentes às acnes, matinês e prematuros comentários sexuais, éramos estranhos um ao outro, e ao mesmo tempo velhos amigos com vontade de se re-conhecerem.
Eu gostei de vê-lo apaixonado, acho que reascendeu algo morto em mim, algo que nunca deixei pegar fogo com medo de não controlar as chamas.
O que eu senti foi dolorido, porque a gente não pode amar quem nos quer bem como amigo. Amigo nós não amamos, amigos temos fidelidade, irmandade, uma pitada de inveja, e uma vontade inexplicável de os quererem sempre por perto - ainda não achei um nome para isso.
Eu percebi que a felicidade é uma areia fina que passa pelas nossas mãos, se não segurarmos firme ela voa para outra direção e volta de um jeito diferente do que já foi, e se prendermos ela desliza com medo da obsessão. É natural que os sentimentos mudaram, e este é o grande empasse da vida: conviver com os deslizes e mudanças decorrentes do coração, do tempo, de tudo que vem que vai, que foi...
Hoje eu chorei, mas não por estar apaixonada, e nem por não ser correspondida [quando estamos com a cabeça ocupada, o coração deixa de ser protagonista], mas por querer o que não poderia, por forçar-se por satisfeita, por esconder estar vencida.
Vivo contando os dias que esta confusão passe logo, que eu compreenda os caminhos tortos que o destino percorre. E sobre passar, passado é algo presente na vida de todo mundo - porque embora às vezes a gente não queira: As Coisas Passam... Aprendi logo cedo que:TUDO PASSA!... Até o que nunca aconteceu!
Esse enleio que hora crucifica, hora nos incendeia: passa!, e enquanto isso [...] eu finjo que ele nem nunca passou por aqui.

[ninguém].

Um comentário:

Bruno disse...

esta imagem de uma mulher com buque, quisera fosse vc? rs cuidado com o que deseja. a paixão é boa, pulsante, mas perigosa e passageira. se procura o amor, desista? ele acontece. vem sem avisar, vai sem pedir autorização. existe num tempo e espaço que não dominamos. resta-nos sorrir com ele, e sem ele.